sexta-feira, 1 de agosto de 2008

QUADRIL DOLOROSO NA PARALISIA CEREBRAL

PERGUNTAS QUE OS PAIS GOSTARÍAM DE FAZER!



1- EXISTE ALGO QUE PODE SER TENTADO PARA EVITAR A LUXAÇÃO DO QUADRIL?

Naquelas crianças portadoras do chamado quadril em risco, que sería a subluxação lateral alguns métodos podem ser tentados. Sabe-se que este quadro éprovocado pelo desequilibrio muscular envolvendo a musculatura proximal do fêmur, por isso a tentativa inicial é paralização temporária da ação desse grupo muscular, feito hoje normalmente através da aplicação da toxina botulínica. Entretanto alguns trabalhos recentes ja vem demonstrando que esse método, mesmo associado a uma reabilitação vigorosa não previne a luxação futura. A segunda opção são os procedimentos cirúrgicos de partes moles - chamadas tenotomias - sabemos que são eficazes mas apenas em crianças abaixo dos 4 a 5 anos.



2- APÓS A LUXAÇÃO O QUE VAI ACONTECER?

Muitas vezes esses quadris, mesmo que estejam completamente fora do lugar, não provocam dor. Entretanto com o passar dos meses e dos anos a criança vai tomando uma posição em adução e flexão do quadril o que acaba levando a uma inclinação da bacia e posteriormente a uma escoliose na coluna compensatória. Por isso é necessário mesmo que não sejam dolorosos uma observação regular devido a posssibilidade de ocasionar um dano secundário.



3- O QUE FAZER QUANDO ESSE QUADRIL É LUXADO E DOLOROSO?

Antes da decisão de o que deve ser feito algumas ponderações devem ser levantadas:
Qual a idade do paciente?
Quanto tempo tem de luxação do quadril?
Existe deformidade na cabeça femural?
Deambulador ou não?
Di ou Tetraplégico?
Inclinação da bacia?
Dor?




4- QUAL A IDADE IDEAL PARA O PROCEDMINENTO DE RECONSTRUÇÃO DO QUADRIL?

Através da literatura médica sabe-se que a melhor época para a reconstrução é entre os 8 a 12 anos de idade. É claro que os fatores mencionados acima devem interagir neste quesito para se chegar a melhor solução de cada caso. A reconstrução é um procedimento cirurgico de grande porte onde tanto o osso do fêmur quanto o osso da bacia são corrigidos através de duas incisões em separado.

pré operatório:


pós operatório:



5- SEMPRE É POSSÍVEL A RECONSTRUÇÃO, OU OUTROS MÉTODOS PODEM SER TENTADOS?

Em ocasiões especiais, em crianças maiores ou mesmo em adolescentes onde seu tratamento foi negligenciado a melhor escolha recai sobre os procedimentos cirurgicos ditos de salvação, onde o objetivo é melhorar o posicionamento do paciente, seja sentado ou mesmo deitado.



6- ESTES PROCEDIMENTOS SEMPRE FUNCIONAM?

Deve se ter em mente que o problema primário da criança é na área central do cérebro e que as deformidades ortopédicas são secundárias a lesão primária. Por isso a não coordenação motora associada ao desequilibrio muscular podem influenciar no resultado cirúrgico.



7- O QUADRIL LUXADO IMPEDE A CRIANÇA DE ANDAR?

O quadril luxado pode ser doloroso devido a deformidade da cabeça femural mas o que impede a criança de andar é a falta de coordenação dada pelo sistema nervoso central - cérebro. É claro que em algumas crianças, principalmente nas ditas diplégicas, o fato de se ter um quadril flexionado e aduzido, associado quase sempre a uma rotação interna pode dificultar em muito a marcha desta criança.